Entenda as principais características da fossa filtro e sumidouro

Fossatrat
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no google
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no facebook

Uma parte considerável das casas do Brasil ainda têm a necessidade de tratar de maneira individual seu esgoto, e isso não é apenas um requisito das áreas rurais. Para manter a integridade do solo, especialmente dos lençóis freáticos e vegetação, o emprego de uma fossa séptica de qualidade é indispensável, agregando fossa filtro e sumidouro para aumentar sua efetividade, mas afinal,você conhece esses componentes tão importantes do sistema de fossas sépticas?

O projeto da fossa séptica

Nas áreas urbanas o espaço é bastante restrito, limitando a extensão em que as fossas podem ser construídas, criando uma grande diferença de projeto em relação às áreas rurais, que podem traçar longas tubulações e manter sua fossa mais próxima da superfície.

Em propriedades urbanas menores, a fossa séptica e seu tratamento de efluentes ficaram normatizados através das NBRs 7.229 e 13.969, versando sobre as etapas de fossa filtro e sumidouro, padrões e metragens.

As fossas instaladas em casas precisam possuir três tanques, o primeiro através do qual os dejetos e a água são depositados, o segundo, onde a filtragem acontece, e o terceiro, onde os efluentes tratados são lançados de volta à natureza.

Nenhuma fossa séptica pode ser construída há menos de 4 metros da casa, 1,5m de qualquer corpo d’água nem 3m de uma árvore, para evitar qualquer espécie de contaminação.

Como a fossa séptica funciona

Os dejetos lançados na primeira caixa da fossa são decantados, o que é sólido não consegue passar pelo cano para a segunda etapa enquanto não for tornado em lodo, que então é absorvido até a caixa de filtragem. Alí, o sólido, o líquido e o gasoso são separados e neutralizados para a próxima etapa.

Projeto das fossas filtro e sumidouro visto de cima

Em seguida, o encanamento do vertedouro dá direto no fundo falso da segunda caixa, a chamada fossa filtro ou filtro anaeróbio, que leva esse nome por ali não haver a atividade molecular que se alimenta de oxigênio, mas funciona através da força da gravidade, porque sobre o fundo existe uma camada de pedras de brita, e no caminho que o lodo faz, é literalmente filtrado pela compressão das pedras até chegar no cano que dá para o sumidouro.

Da fossa filtro ao sumidouro

O sumidouro é uma das soluções mais comuns empregadas na finalização dos tratamentos de esgoto, oferecendo uma opção barata e prática para o tratamento dos efluentes.

Processo de mudança de uma fossa séptica para sumidouro

Na terceira etapa do tratamento a água, que já foi bem filtrada, precisa ser dispensada, e isso acontece de diferentes maneiras, de acordo com a permeabilidade do solo, nível de filtragem e disposição de encanamentos. Veja também como limpar fossa!

Nas cidades, é comum que haja encanamento que dê para o sistema geral de esgoto. 

Para todos os casos, o sumidouro é munido de um fundo aberto, coberto com areia e cascalho, que fazem uma última filtragem lenta antes que a água seja devolvida, já tratada, ao solo. Não é incomum que hajam furações nas laterais do sumidouro também, para auxiliar na dispersão da água tratada.

Recomendações para filtro de fossa e sumidouro

  • É importante que o tamanho da fossa seja proporcional à média estimada de efluentes lançados no esgoto, caso contrário ela acaba enchendo muito antes da hora.

 O volume de britas no filtro anaeróbio também deve ser bem calculado, pois uma espessura pequena pode transformar as pedras em líquido, e uma espessura muito grande pode atrasar demais a filtragem de forma pouco produtiva.

  • O encanamento da cozinha e das demais pias não deve ser lançado na fossa séptica, porque os químicos encontrados nos sabões e detergentes podem interferir no processo anaeróbio.
  • Fossas sépticas que não são de propriedades residenciais precisam ser limpas com regularidade para evitar entupimento.
  • Métodos extras podem ser de grande ajuda tanto para evitar qualquer tipo de entupimento na tubulação quanto para favorecer a atividade de tratamento da fossa séptica.

As bactérias presentes na fossa têm atividade anaeróbia, quer dizer, trabalham sem consumir oxigênio dos dejetos mais pesados, mas agentes bióticos também podem ser empregados para complementar o funcionamento do esgoto e até facilitar as demais etapas.

Fossa trat seguindo recomendações de segurança e execução

Fossa Trat é um composto produzido com a seleção biotécnica e natural de bactérias e enzimas que se alimentam dos principais compostos dos dejetos, como gorduras, proteínas, carboidratos e açúcares, evitando o acúmulo de dejetos pela extensão do encanamento.

Ele não agride o solo nem atrapalha o processo da fossa séptica -pelo contrário-, ajuda em seu trabalho. Além disso, pode ser aplicado em outras áreas da casa onde a tubulação tem riscos de entupimento e mal cheiro, como caixas de gordura e esgoto de canil e tubulações de tanques.

Conheça mais sobre nosso produto e garanta uma fossa livre de entupimentos e cheiros desagradáveis, tudo de maneira ecologicamente correta. Para estar sempre por dentro das nossas novidades, fique de olho em nosso blog! 

Por aqui, trazemos sempre conteúdo cheios de informação e dicas que vão facilitar a sua vida! Nos vemos no próximo post!

Fossa Trat solução bio sustentável

Equipe Fossa Trat, especialistas em soluções Bio-Sustentáveis e em como acabar com seus problemas de entupimento e mau cheiro!

Deixe uma resposta